fbpx

Um assunto que causa muitas dúvidas entre os profissionais de logística e transporte é a composição do valor do frete. São tantas taxas, impostos e adicionais que até o profissional mais experiente pode acabar se confundindo com os cálculos.

Para sanar essas dúvidas, já fizemos aqui no blog uma série de materiais explicando como são calculadas as principais taxas que compõem o frete: Ad Valorem (Frete Valor), GRIS, ICMS, ISS, taxa EMEX, TRT, TDE, cubagem

Hoje, vamos falar de mais uma dessas taxas, o TDA (Taxa de Difícil Acesso). O assunto é curto, mas vale a leitura, pois muitos logísticos ainda não conhecem muito bem essa taxa.

Além disso, vamos dar uma dica valiosa para você calcular todas as taxas e impostos em menos de 3 segundos! Se quer saber como, leia até o final.

 

O que é TDA (Taxa de Difícil Acesso)?

A Taxa de Difícil Acesso geralmente é cobrada quando as condições do local de entrega dificultam sua realização. Alguns exemplos são estradas de terra, ruas estreitas demais, subidas íngremes, escadarias, içamento, etc.

 

Como ela é cobrada?

Diferentemente de algumas taxas que têm fórmulas e cálculos definidos, a TDA pode ser negociada entre o transportador e o embarcador. A taxa pode ser cobrada por percentual do frete, percentual da nota, valor fixo ou por peso, conforme a negociação.

 

Qual é a diferença entre a TDA e a TDE?

Com já explicamos aqui no blog, a TDE (Taxa de Dificuldade de Entrega) é cobrada quando, por algum motivo, a entrega foi dificultada, gerando custos adicionais ao transportador. Essa “dificuldade”, no entanto, não tem a ver com a localização da entrega.

Alguns dos motivos para cobrança da TDE são:

  • Recebimento por ordem de chegada, independentemente da quantidade;
  • Recebimento precário, que gere longas filas e tempo excessivo na descarga;
  • Exigência de tripulação superior à do veículo para carga e descarga;
  • Recebimento fora do horário comercial;
  • Disposições contratuais que agravem o custo operacional.

 

A forma mais fácil de calcular a Taxa de Difícil Acesso

Explicamos até agora quais são as regras para calcular a TDA. Na prática, existem duas formas de fazer esse cálculo:

  • manualmente, usando calculadora ou planilha de Excel. O problema desse método é que você gasta muito tempo para calcular e ainda está sujeito a erros (como qualquer trabalho manual, que tem o “dedinho humano”);
  • automaticamente, usando um sistema que faça o cálculo para você. A grande vantagem do cálculo automático é que você não precisa fazer praticamente nada, o sistema já faz tudo para você em menos de 3 segundos. Com isso, além de ganhar tempo para focar em tarefas mais importante, você tem mais segurança, porque a chance de haver erros no cálculo é praticamente zero.

É importante lembrar que, além da TDA, existem muitas outras taxas e impostos (Cubagem, Ad ValoremGRISICMSISSEMEX, TDE) que precisamos calcular toda vez que vamos cobrar um frete. Fazer todos esses cálculos na mão ou em planilha é muito demorado, além do risco de erros, que trazem muito prejuízo.

Afinal, quando falamos de cálculo de frete, não estamos tratando apenas com números, estamos lidando com dinheiro!

Se você, assim como eu, não está disposto a perder dinheiro à toa, veja nessa outra matéria qual é a forma mais inteligente e segura de fazer o cálculo da TDA e de todos os outros componentes para cobrar o frete.

 

Leia também: A forma mais fácil de cobrar frete no transporte de cargas

E então, o que achou dessa matéria? Você já sabia a diferença entre TDA e TDE? Deixe seu comentário! 😊

 

Comentários