fbpx




Como já comentamos aqui no blog, acompanhar os indicadores é fundamental para saber o que está (e o que não está) funcionando bem na sua logística. Só conseguimos resolver os problemas quando sabemos que eles existem. Muitas empresas convivem com problemas “ocultos” que resultam em muitas dores de cabeças.

Para identificar esses gargalos que tanto atrapalham o bom desempenho do setor e o crescimento da logística, é importante analisar os indicadores de desempenho.

Já explicamos em outras matérias o que são indicadores de desempenho logístico e porque analisa-los é um passo fundamental para ter bons resultados.

Hoje, vamos dar exemplo de alguns indicadores que todo o embarcador (empresa que contrata transportadoras) deveria analisar na sua logística.  

Quais indicadores analisar na logística?

Listamos abaixo alguns indicadores interessantes que dizem muito sobre como anda a sua logística.

Nível de serviço

Se o seu produto não estiver disponível para o consumidor no momento que ele precisa, com certeza ele vai comprar o produto do concorrente e sua empresa perderá a venda.

O nível de serviço logístico nada mais é que a qualidade e desempenho oferecido pelos seus transportadores.

Estabeleça o nível de serviço que vai exigir do seu transportador com base no seu produto, mercado, região etc. É preciso acompanhar e medir o percentual de entregas no prazo realizado por seus transportadores e definir um percentual que seja considerado satisfatório para a sua empresa. Dessa forma, fica fácil identificar como está a performance de entregas dos seus transportadores.

Frete pago por transportador

Fica bem mais simples negociar o frete e estabelecer um bom relacionamento quando se sabe exatamente a receita que a empresa está gerando para o fornecedor. Por isso, é preciso saber qual a representatividade do transportador no montante de frete pago no período.

Frete calculado x frete pago

É de extrema importância fazer a auditoria de 100% dos fretes pagos para ter certeza de que não está pagando frete maior do que o que foi combinado.

Estabeleça o mínimo da divergência de frete aceitável para cada transportador. Por exemplo, você pode estabelecer uma tolerância de 1% de divergência. Ou então, aprovar somente os pagamentos que estejam exatamente com o valor combinado.

Frete pago por destino

A estratégia de distribuição depende, entre outras variáveis, do valor de frete gasto para cada região. É possível mudar a estratégia com base no custo do frete ou, até mesmo, criar um centro de distribuição.

Percentual de frete no valor de mercadoria

O frete pode ter uma grande influência no valor do produto, afinal de contas ele é um dos componentes do custo do produto. Estabeleça um percentual do valor da mercadoria como teto para custo do frete e acompanhe diariamente este custo, pois qualquer deslize pode acarretar em prejuízos.

Um outro ponto importante a considerar é que se o valor do frete tiver grande influência no valor do produto para entregas distantes, a empresa pode estar vulnerável a concorrência local. Ou seja, para produtos cujo frete altera significativamente o valor do produto final, o concorrente local leva vantagem no preço.

Frete pago por kg transportado

Este indicador é essencial para se comparar o valor do frete entre transportadoras. Como o frete é composto por muitas variáveis e o cálculo depende de uma série de fatores, torna-se mais simples se avaliar o valor final do frete relacionado ao peso transportado. Este número pode ser comparado entre transportadoras independente das taxas que elas cobram.

Leve em consideração a região de destino e estabeleça um valor de frete por kg transportado. Através deste indicador é possível ter um excelente parâmetro para limitar os custos do frete.

Notas fiscais não entregues

O acompanhamento das notas ficais não entregues faz com que a empresa tome ações proativamente. Ou seja, quando se monitora as entregas a empresa pode se antecipar e tomar decisões para evitar os problemas, gerando maior confiança no cliente e, consequentemente, fidelização. É importante ressaltar que o indicador deve considerar 3 status diferentes para as notas ficais, que são:

• NF não entregue e dentro do prazo;

• NF não entregue e fora do prazo;

• NF não entregue com ocorrências.

A qualquer momento o status da entrega pode ser alterado. Isso significa que a informação é muito dinâmica e dependendo da quantidade de entregas fica muito difícil controlar manualmente, será necessário um sistema específico e integrado.

Ocorrências sem solução

Problemas com entregas sempre acontecem. Por isso, monitorar a quantidade de ocorrências faz parte da análise da performance do transportador. Estabeleça um limite de ocorrências por tipo, assim fica mais fácil administrar os problemas com as entregas.

Nem sempre a ocorrência é ocasionada pelo transportador, ela pode ser decorrente de problemas com embalagens, separação de produtos, infraestrutura de recebimento, entre outros motivos. Por isso, é muito importante analisar os principais motivos e tomar ações preventivas. Às vezes uma pequena mudança no processo evita várias ocorrências.

Outro fator importante é que as ocorrências precisam ser solucionadas o mais rápido possível para evitar insatisfação dos clientes. Se esta informação for automatizada através de EDI (troca eletrônica de dados) com o transportador, a administração fica bem mais simples.

OTIF (On time – In full)

Esse indicador de desempenho avalia a qualidade do serviço de entrega das mercadorias, com base nas entregas realizadas dentro do prazo combinado e de acordo com as especificações exigidas pelo cliente. Em resumo, ele mostra qual é o percentual de entregas perfeitas realizadas pela sua empresa, sem falhas, sem atrasos e sem devoluções.

Há duas formas de se considerar o percentual de OTIF da sua empresa. Em outra matéria sobre o OTIF explicamos em detalhes como fazer essa análise.

Mas, como consolidar todas essas informações?

Fazer manualmente o levantamento de todos esses dados é uma tarefa trabalhosa, demorada e cansativa. Por isso, muitas empresas optam por investir em sistemas TMS, que são integrados ao ERP e colhem e organizam todos esses dados, gerando automaticamente gráficos claros e precisos. Isso facilita a análise e evita perdas de tempo.

Utilizando-Indicadores-no-Transporte-e-Logistica

E então, o que achou dessa matéria? Já utiliza indicadores de desempenho logístico na sua empresa? Deixe seu comentário!

Comentários