fbpx

Em vez de ler, que tal assistir ao vídeo?


Um assunto polêmico, que causa muitas dúvidas entre os transportadores e já virou até matéria no Fantástico, é o uso do 4º eixo em caminhões e carretas.

O quarto eixo liga os pneus de uma lateral a outra da carreta. Com ele, é possível transportar mais peso, cerca de 6 mil quilos a mais por viagem. Por conta disso, existem tantos veículos rodando nessas condições.

Mas será que essa prática é legalizada? Quais as consequências de usar o quarto eixo nos veículos? Hoje, vamos esclarecer essas e outras dúvidas sobre o tema.

 

Afinal, o quarto eixo é permitido?

Segundo a nota técnica do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), não é permitido rodar com o quarto eixo no Brasil. Dessa forma, apesar de não ser difícil vermos por aí, os veículos com 4 eixos são irregulares.

Nesses casos, o quarto eixo é encomendado pelo proprietário do veículo em oficinas que fazem esse trabalho ilegalmente, já que as empresas de implementos não o fabricam. A prática é considerada uma infração grave, passível de multa e de retenção do caminhão.

 

Quais são os riscos de usar o quarto eixo em caminhões e carretas?

Especialistas dizem que essa fraude coloca em risco a segurança tanto dos caminhoneiros, quanto das outras pessoas que trafegam nas rodovias, pois pode causar acidentes por falta de estabilidade no veículo, dificultando até mesmo que o motorista consiga frear a tempo em situações de risco. 

Além disso, pelo excesso de peso, a circulação em massa desse tipo de veículo pode reduzir a vida útil de viadutos, por exemplo.

Esse é um assunto que vem gerando muita discordância ao longo dos anos, pois o Denatran declara que um estudo técnico, realizado pelo Observatório Nacional de Segurança Veicular (ONSV), está em andamento, mas ainda sem prazo de conclusão.

Então, é bom sempre estar de olho na legislação e, até o momento, o quarto eixo continua sendo irregular.

O que você achou desse tema e das explicações? Deixe aqui nos comentários outras dúvidas que você tenha sobre transporte de cargas. Quem sabe a próxima matéria pode ser respondendo a sua dúvida!

Muito obrigada e até a próxima!

Comentários

Dúvidas? Entre em contato!