fbpx

Texto cedido pela empresa Rodoquick e originalmente publicado em seu blog

Caminhões e Carretas: Tipos e Classificações 1

Para quem trabalha na área de logística, seja como transportadora, seja como contratante do transporte, é essencial conhecer os tipos de caminhões existentes. Sendo assim, resolvi dividir com os leitores uma espécie de “manual” que escrevi quando comecei a trabalhar com transporte, no qual concentro, num único texto, diversos materiais encontrados pela internet, organizando as informações e buscando dar uma ideia das diversas classificações existentes e contribuir com o aumento do conhecimento dos profissionais da área.

Vamos começar por um conceito básico: quanto maior a força aplicada pelos pneus sobre o asfalto, maior o desgaste da estrada. Sendo assim, o CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) limitou o peso máximo, por eixo, a ser carregado pelos veículos. Este é um dos pontos de partida para diferenciar os tipos de caminhões existentes, que podem levar bastante peso, desde que distribuído pela quantidade adequada de eixos.

Desse modo, os caminhões são classificados de acordo com 3 características principais: capacidade de carga, quantidade e distância entre eixos.

Os veículos utilizados no transporte rodoviário são classificados em caminhões e carretas.

Caminhões

Caminhões são veículos fixos, monoblocos, constituindo-se de uma única parte que incorpora a cabine, com motor, e a unidade de carga (carroceria). Podem apresentar os mais variados tamanhos, ter 2 ou 3 eixos, podendo atingir a capacidade de carga (payload) de cerca de 23 toneladas.

Apresentam vários modelos, para os diversos tipos de cargas, como os de carroceria aberta, em forma de gaiola, plataforma, tanque ou fechado (baú), sendo que estes últimos podem ser equipados com maquinários de refrigeração para transporte de cargas congeladas e refrigeradas.

 – Veículo Urbano de Carga (VUC)

É o caminhão leve, de menor porte, apropriado para áreas urbanas. Possui a largura máxima de 2,2 metros, comprimento máximo de 6,3 metros e limite de emissão de poluentes. A capacidade do VUC é de 3 toneladas.

 – Toco ou caminhão semi-pesado

É o tipo que tem como característica o eixo simples na carroceria, ou seja, um eixo frontal e outro traseiro de rodagem simples. Sua capacidade é de até 6 toneladas, com peso bruto (peso do veículo + capacidade de carga) de até 16 toneladas e comprimento máximo de 14 metros. É um veículo que possui carroceria menor que um caminhão trucado, possui apenas um eixo e suporta menos peso que o tipo truck.

 – Truck ou caminhão pesado

É o caminhão que possui o eixo duplo na carroceria, ou seja, dois eixos de rodas juntos, com a finalidade de carregar carga maior e com melhor desempenho do veículo. Um dos eixos traseiros recebe a força do motor. Sua capacidade é de 10 a 14 toneladas, com peso bruto (peso do veículo + capacidade de carga) máximo de 23 toneladas e comprimento de até 14 metros.

 

Carretas

As carretas, diferentemente dos caminhões simples, são veículos articulados, possuindo a unidade de tração e de carga localizadas em módulos separados. Essas unidades são chamadas de cavalo mecânico (que abriga o motor, as rodas de tração e a cabine do motorista) e semi-reboque (módulo de carga), respectivamente.

Os semi-reboques são equipamentos que não apresentam qualquer eixo na dianteira, mas tão somente na traseira, devendo ser acoplados aos cavalos mecânicos. Eles podem ser dos mais diversos tipos, como abertos (em forma de gaiolas, plataformas, cegonheiras, tanques) ou fechados (baús), cada qual apropriado a um determinado tipo de carga. Os semi-reboques fechados podem ser equipados com maquinários de refrigeração para transporte de cargas que necessitam de controle de temperatura.

As carretas também apresentam capacidades de carga diversas que, dependendo do número de eixos do cavalo mecânico (dois ou três), e do semi-reboque (dois ou três), variam até aproximadamente 30 toneladas.

 – Cavalo Mecânico ou caminhão extra-pesado

É formado pelo conjunto da cabine, motor e rodas de tração com eixo simples (apenas 2 rodas de tração). Pode ser engatado em vários tipos de carretas e semi-reboques, para o transporte.

Carreta 2 eixos

Utiliza um cavalo mecânico simples e um semi-reboque com 2 eixos cada. Possui peso bruto máximo de 33 toneladas e comprimento máximo de 18,15 metros.

Carreta 3 eixos

Utiliza um cavalo mecânico simples (2 eixos) e um semi-reboque com 3 eixos. Possui peso bruto máximo de 41,5 toneladas e comprimento máximo de 18,15 metros.

 – Cavalo Mecânico Trucado ou LSC

Tem o mesmo conceito do cavalo mecânico, mas com o diferencial de ter eixo duplo em seu conjunto, para poder carregar mais peso. Assim, o volume da carga do semi-reboque distribui-se por mais rodas, e a pressão exercida na estrada é menor.

Carreta Cavalo Trucado

Utiliza um cavalo mecânico trucado e um semi-reboque também com 3 eixos. Seu peso bruto máximo é de 45 toneladas e comprimento máximo de 18,15 metros.

Bitrem ou treminhão 

É uma combinação de veículos de carga composta por um total de sete eixos, que permite o transporte de um peso bruto total de 57 toneladas. Os semi-reboques dessa combinação podem ser tracionados por um cavalo-mecânico trucado.

O bitrem é composto por três unidades: um cavalo mecânico tracionando dois semi-reboques — o primeiro deles é acoplado na quinta roda do cavalo e o segundo em uma segunda quinta roda, que se localiza no prolongamento do primeiro semi-reboque.

Rodotrem

Combina veículos de carga (dois semi-reboques) formando o total de 9 eixos, permitindo o transporte de um peso bruto total de 74 toneladas. É formado pelas três unidades do bitrem e mais uma, que é o dolly, unidade de articulação que fica posicionada entre os semi-reboques.

O rodotrem ganha eixos a mais, em relação ao bitrem, devido à presença do dolly, que tem, em geral, dois eixos. Essa formação precisa ser tracionada por um cavalo-mecânico trucado e é obrigatório ter um trajeto definido para obter Autorização Especial de Trânsito (AET).

Tritrem

É derivado do bitrem, no qual é acoplado mais uma quinta roda e mais um semi-reboque. A combinação Tritrem é formada por três semi-reboques interligados entre si por meio de pino-rei/quinta-roda, como acontece na combinação Bitrem. Este conjunto permite o mesmo peso bruto total do Rodotrem (74 toneladas) mas, em razão de suas características específicas, é utilizado somente para o transporte florestal.

Tetraminhão e Pentaminhão

São derivados do treminhão, sendo o mesmo tipo de combinação, apenas com mais reboques agregados. Estes dois tipos são especificamente utilizados para transportar cana-de-açúcar, e normalmente trafegam somente em vias vicinais, no trajeto entre as plantações e as usinas, pois não são oficializados legalmente.

 

Essas são as classificações básicas dos caminhões e carretas utilizados nas rodovias brasileiras. Espero que tenha sido uma leitura prazerosa e que tenha agregado algum conhecimento a você, nosso leitor.

Se você gostou, compartilhe! Conhecimento nunca é demais.

 

Fontes:

https://rodoquick.com.br/transportadora_santos/nosso-blog/69-caminhoes-e-carretas-tipos-e-classificacoes-parte-1-2;

https://rodoquick.com.br/transportadora_santos/nosso-blog/70-caminhoes-e-carretas-tipos-e-classificacoes-parte-2-2

 

Comentários