fbpx

Não sei dizer uma palavra que melhor define o que é ser mãe do que a palavra INSTINTO.

Instinto esse que se aflora no momento em que nos tornamos mães, cada uma a seu tempo, ou seja: algumas mulheres se descobrem mães ainda na gestação, outras apenas quando o bebê nasce, outras quando a vida coloca uma criança no nosso caminho, mas de maneira geral, nos damos conta que somos mães quando já estamos tomadas por este sentimento.

Sentimento este, que nos faz agir sem pensar, nos faz voltar as nossas origens da evolução e nos tornamos irracionais, daí as expressões: mãe leoa, mãe coruja entre outras. Cuidamos da nossa cria com unhas e dentes, algumas vezes este instinto é tão forte que não damos conta que estamos prejudicando nossos filhos.

Acredito que o instinto seja o responsável por gerar os demais sentimentos que envolvem a maternidade como o amor incondicional, cuidado, proteção, aceitação, amizade, responsabilidade, preocupação, doação, cobrança, renuncia entre outros. E estes fazem com que a gente ignore nossas fraquezas e nos dá força para seguir com a nossa missão e assim esquecemos dos incômodos da gestação, das noites sem dormir, da renúncia das coisas que nos traz alegrias e de tudo que não nos contam a respeito da maternidade.

Ser mãe não é nada sobrenatural, pelo contrário é uma coisa muito natural e talvez por isso seja tão difícil. Ser mãe é ir na contramão, é negar óbvio. Ser mãe nada mais é do que seguir nossos instintos.

Comentários

Dúvidas? Entre em contato!