fbpx

A competitividade entre os transportadores rodoviários de cargas cresce constantemente. Clientes embarcadores estão cada vez mais exigentes, à procura do melhor prazo de entrega com baixo custo de frete. Mas muitos transportadores de carga não conhecem os recursos tecnológicos e os serviços já disponíveis no mercado que podem melhorar muito os controles em sua gestão de frotas. Neste post vamos falar de um destes serviços, o CTF Abastecimento.

O principal objetivo do CTF é gerenciar o abastecimento do veículo de forma que o transportador possa controlar e acompanhar os abastecimentos realizados nos veículos nos postos de combustível. Atualmente, o CTF Abastecimento está disponível em todo território nacional, nas redes Petrobras e Ipiranga, podendo também ser utilizado no posto interno da transportadora.

O CTF é um sistema automático e inteligente que registra os dados de abastecimento, sem a intervenção humana. Dessa forma, as principais informações de quantidade e valor de combustível abastecido podem ser consultadas em tempo real pelo transportador, assim que a bomba se afasta do tanque de combustível do veículo. Esta é uma forma de as empresas de transporte eliminarem desvios de rotas e extravios de combustíveis, otimizando e agilizando o processo de abastecimento em sua frota.

O que acha de ter a garantia da presença do veículo no momento do abastecimento, realizar o acompanhamento diário de gastos de combustível por veículo e centro de custo e ter a garantia de que o valor pago é somente de combustível? Estes são alguns dos benefícios deste serviço.

 

E como o CTF funciona?

Este controle é realizado de forma eletrônica durante os gastos com abastecimento, no momento em que o veículo estaciona no posto para abastecer. As informações são registradas e enviadas automaticamente para central de processamento, onde cada veículo é equipado com um dispositivo chamado UVE – Unidade Identificadora do veículo, ligada ao odômetro, que é a “boca” do tanque de combustível.

No momento do abastecimento nos postos credenciados CTF, as antenas instaladas na “boca” do tanque de combustível do veículo e no bico da bomba de abastecimento são conectadas e os dados armazenados na UVE são transferidos para a RFC (equipamento do CTF instalada no posto) interligada ao bico das bombas, responsável em liberar a bomba e enviar as informações de abastecimento. Isso possibilita o acesso eletrônico aos dados de identificação do veículo, quilometragem, quantidade, tipo, valor do combustível colocado, local do abastecimento, data, hora e média de consumo.

Este serviço monitora se o veículo da empresa está realmente presente no posto no momento do abastecimento, podendo garantir que o valor expresso nas notas fiscais ou nos canhotos de abastecimentos dos veículos de uma determinada rota, corresponde precisamente a quantia realmente abastecida, ou se o combustível pago foi utilizado somente pelos caminhões, carretas ou carros autorizados pela empresa.

Veja o esquema de funcionamento do CTF:

  1. O veículo se dirige a um posto CT
  1. Quando o bico da mangueira é inserido na boca do tanque de combustível do veículo, o equipamento instalado no tanque é acionado.
  1. A UVE transmite os dados do veículo e odômetro atual para o RFC, que verifica se o veículo está autorizado a abastecer.
  1. Na operação on-line, o RFC encaminha à Central CTF a identificação do veículo e motorista, onde o autorizador on-line verifica os limites e libera ou não o RFC para abastecer.
  1. Somente depois da autorização do RFC é que a bomba é ligada e o abastecimento é liberado. Todo este processo leva menos de 15 segundos.
  1. Se o bico da mangueira é afastado da boca do tanque durante o abastecimento, o mesmo é interrompido imediatamente, evitando qualquer desvio de combustível.
  1. As etapas da operação, autorização, abastecimento, finalização e agendamento podem ser acompanhadas em tempo real pela Internet no site da CTF ou em um software de gestão de transportes (TMS) compatível.
  1. Concluído o abastecimento, é só seguir viagem, sem a necessidade de assinar nota fiscal ou comprovante.

Uma vantagem de ter um TMS compatível é que após o processamento, o sistema permite a consulta das principais informações de abastecimento, como os de controle de consumo, de débitos, de acompanhamento de rotas, etc, permitindo racionalizar controles internos quanto a consumo de combustíveis.

Veja mais benefícios do TMS para transportadores nesta matéria.

 

Active Trans tms transportador sistema logística

 

 

 

 


Comentários