fbpx

Em vez de ler, que tal assistir ao vídeo?

 

O CT-e 4.0 já chegou no mundo da logística e transporte de cargas. A nova versão já está disponível desde 26/06/23, a obrigatoriedade começa a partir de 31 janeiro de 2024 e as empresas estão correndo para se adaptarem a essas atualizações. 

E aí, você já sabe quais são as principais mudanças que vêm com o CT-e versão 4.0 ?  

Lendo até o final, você vai descobrir tudo o que precisa saber sobre: 

  1. Fim da Anulação de CT-e
  2. Fim da Denegação de CT-e
  3. Fim da Inutilização
  4. Possibilidade de fazer 1 Complementar para até 10 CT-e de Entrega Normal
  5. CST do CT-e para Simples Nacional para 01
  6. Compatibilidade do sistema entre as duas versões no período de implantação.

 

Fim da Anulação de CT-e com o CT-e 4.0

Anteriormente, se o CT-e fosse emitido com algum erro o cliente que é o tomador do frete tinha que emitir uma nota fiscal de anulação de valores. Essa nota era emitida para que a transportadora pudesse importar no próprio sistema e emitir o CT-e de anulação.  

Com isso, a transportadora emitia o CT-e de anulação exatamente igual ao um CT-e de entrega que ela emitiu anteriormente. 

Essa anulação era necessária para não recolher impostos e, com a anulação feita, era só emitir o CT-e de substituição que seria usado para cobrar o cliente. 

 Hoje, o CT-e de anulação não é obrigatório. Na versão 4.0 basta um evento de desacordo de operação e você pode ir direto para a substituição. 

 

Fim da Denegação de CT-e com o CT-e 4.0

Quando uma nota era emitida com algum erro ou era cancelada sem o conhecimento da transportadora, por exemplo, e o CT-e era enviado a Sefaz mesmo com o erro, essa nota retornava com o status de denegado ou cancelado de forma definitiva.  

Na denegação, você é impedido de emitir o documento daquele jeito. Então, se a Sefaz denegou a emissão do seu CT-e com aquelas informações, ele não servia para mais nada. 

Com a versão 4.0, a denegação não é uma situação definitiva. Se identificado algum erro, o documento retorna com status de denegado e dependendo do tipo da informação poderá ser corrigido. Sendo aprovado após a correção, permanecerá com o número de conhecimento.  

Nos casos em que a nota foi cancelada, você não pode emitir o conhecimento daquele jeito porque não tem o que corrigir.  O que é possível nesse caso é a substituição daquela nota que está denegada devido ao cancelamento por uma outra que esteja válida. 

 

Fim da Inutilização com o CT-e 4.0

Anteriormente, na versão 3.0, se você gerasse um número de conhecimento, mas resolvesse não enviar a Sefaz por desistência, (por exemplo, se o transportador emitiu o CT-e 1001 e depois o 1003, sem emitir o CT-e 1002) era obrigatório fazer o envio dessa inutilização para a Fazenda, porque você já tinha reservado aquela numeração.

O site do Simples Nacional era utilizado para realizar consultas de anos anteriores, por exemplo, onde aquele número foi utilizado. No CT-e 4.0 você não precisa fazer mais esse envio. Se pulou o número, pulou. 

 

Possibilidade de fazer 1 CT-e complementar para até 10 CT-es de Entrega Normal

Antes, nos casos de emissão de CT-e complementar, para cada CT-e de entrega normal era necessário emitir um complementar. Ou seja, se você precisasse complementar 20 CT-es de entrega teria que fazer 20 CT-es complementares. Agora, é possível fazer um CT-e complementar para até 10 CT-es de entrega normal, se estes CT-es forem do mesmo cliente, origem e destino. 

  

CST (Código de Situação Tributária) do CT-e para Simples Nacional para 01 

Para transportadores que são do regime Simples Nacional que antes era utilizado o CST – 90 nos conhecimentos, para esta versão do CT-e 4.0 foi alterado para o CST – 01. 

 

Compatibilidade do sistema entre as duas versões no período de implantação. 

Um dos aspectos que a Active Corp tomou bastante cuidado nessa implementação no Active Trans foi de manter a compatibilidade entre as duas versões para a leitura do XML entre os parceiros. Justamente porque se o seu cliente, a sua contabilidade ou sua seguradora não estão preparados para receber a versão 4.0, como você vai receber o faturamento desse transporte? O seu cliente pode não querer pagar, você pode ter um problema fiscal ou aquela carga sair sem estar assegurada de fato.  

 


Esta publicação te ajudou? Conheça nossa empresa e nossas soluções para simplificar a logística e transporte. 

Comentários

Dúvidas? Entre em contato!